Blog

Materiais inflamáveis na construção civil: quais cuidados tomar?

Presença frequente no cotidiano dos profissionais da construção civil, as substâncias inflamáveis, apesar de muitas vezes serem ignoradas, podem causar inúmeros danos à saúde através do contato não apenas pela pele, mas por vias respiratórias ou mucosas.

Você sabe que perigos corre e quais cuidados tomar com esses tipos de produtos?

Continue lendo e confira mais sobre os materiais inflamáveis e algumas medidas para seu manuseio seguro.

O que diz a regulamentação?

A Norma Regulamentadora NR-20, voltada para segurança e saúde no trabalho com inflamáveis e combustíveis, define líquido inflamável como todo aquele com ponto de fulgor menor ou igual a 60°C. Enquanto os gases inflamáveis são aqueles que inflamam com ar a 20ºC e pressão padrão de 101,3kPA.

A norma também afirma categoricamente a importância do trabalhador ter conhecimento técnico na área em que atua, valendo ressaltar aqui pelo corrente manuseio desse tipo de material em contextos como a construção civil.

Quais os principais riscos em caso de contato com inflamáveis?

O risco dos materiais inflamáveis não é apenas explosão/incêndio. Antes de chegar nesse caso extremo esses materiais podem causar danos à saúde através de acordo com a forma que nosso corpo recebe.

Alguns dos órgãos que podem ser afetados por substâncias inflamáveis em caso de contato podem ser: pele, pulmões, fígado, rins e cérebro.

Os efeitos podem ser imediatos ou de longo prazo (crônicos) de acordo com o componente presente no produto. Estes vão desde irritações, alergias, sensação de asfixia, inconsciência e a longo prazo até mesmo alterações no sistema nervoso, a depender da substância e da quantidade a que se teve contato.

Alguns dos produtos que podem ser inflamáveis na construção civil

Em cada ambiente de trabalho serão utilizadas substâncias inflamáveis diferentes, e para todas elas é necessário grande atenção e cautela no manuseio.

Confira alguns dos materiais inflamáveis mais comuns nesse contexto:

  • Tintas – Isso mesmo, pode parecer surpreendente para alguns mas, com exceção das tintas a base de água, a maior parte das demais utilizadas na indústria contém solventes orgânicos inflamáveis. Em caso de vazamento ou liberação de vapores do componente no ambiente, qualquer faísca pode ocasionar um acidente.
  • Solventes –  Utilizados com frequência na indústria, os solventes são substâncias altamente voláteis, ou seja, se evaporam e podem ser inaladas facilmente, sendo grande parte destes também altamente inflamáveis.
  • Impermeabilizantes –  Úteis na detenção de água, fungos e bactérias, especialmente no revestimento de peças e objetos que devem ser mantidos secos e livres de contaminantes, os impermeabilizantes são componentes comuns na construção civil e também compõem a lista de inflamáveis em potencial, podendo existir tipos não inflamáveis.
  • Colas e adesivos – Formulados a base de substâncias químicas esses produtos além de inflamáveis, podem ser também tóxicos e causar irritação na pele e olhos.

Além destes podemos destacar ainda substâncias como detergentes sintéticos, verniz, e alguns tipos de agentes removedores.

Em alguns poucos exemplos já é suficiente para perceber que estamos mais próximos do perigo do que imaginamos, não é mesmo? Mas que cuidados podemos tomar para evitar acidentes e lesões?

Medidas preventivas no manuseio de materiais inflamáveis

Um dos fatores mais importantes a serem assimilados sobre inflamáveis é estar sempre o mais atento possível. Em um contexto ideal, todas as substâncias químicas com potencial de provocar perigos ao trabalhador devem estar devidamente armazenadas e rotuladas para facilitar o manuseio seguro.

  • Armazenamento:

Ainda segundo a NR-20, o armazenamento destes produtos é um fator que requer grande atenção. Ambientes limpos, organizados, com ventilação, estrutura e iluminação adequada são indispensáveis. Um eficiente sistema de combate a incêndio com extintores apropriados próximos à porta de acesso é uma medida básica.

Procure proteger esse materiais de vibrações e fontes de calor. Em alguns casos faz-se necessário o armazenamento em locais com paredes, teto e piso resistentes ao fogo, e parte elétrica resistente à prova de explosão.

Cada material deve ser mantido em seu recipiente próprio e ser aberto apenas durante o uso, o que deve ocorrer apenas no horário do expediente, em casos de necessidade fora desse horário deve ser comunicado ao supervisor.

  • Sinalização:

Placas, painéis, murais e cartazes em uma obra sempre tem seu propósito bem definido, portanto, fique atento. A NR-18 ao tratar da sinalização e segurança, destaca um tópico específico para identificar locais com substâncias inflamáveis, além das tóxicas, corrosivas, explosivas e radioativas.

A sinalização é importante tanto para identificação dos materiais inflamáveis, sob a forma de rótulos e semelhantes, quanto em placas indicando para todos que circulam no ambiente que existe risco com inflamáveis naquele local.

No caso de materiais inflamáveis atente-se à sinalizações como essas:

  • EPI’s:

A sinalização é utilizada também para alertar quanto à obrigatoriedade do uso do que se define como EPI (Equipamento de Proteção Individual) segundo a NR-06, um dos itens mais relevantes para prevenir acidentes e lesões no ambiente de trabalho.

 

Mantenha-se em segurança e cuidado com os inflamáveis!

Como vimos aqui os materiais inflamáveis são companheiros frequentes de diversos trabalhadores incluindo os que atuam na construção civil.

Os perigos estão em toda parte e atenção redobrada ao lidar com produtos químicos em diversos aspectos, desde o ambiente, armazenamento, equipamento usado para o manuseio, placas sinalizadoras e rótulos.

Ainda assim acidentes podem acontecer, e nesse caso deve-se ter em mente que cada produto possui suas próprias recomendações que devem ser verificadas em caso de substâncias absorvidas, ingeridas ou inaladas.

Fornecedores de produtos químicos, inclusos os inflamáveis, devem por lei, apresentar chamadas FISPQs (Fichas de Informações de Segurança de Produtos Químicos). Estas representam a principal fonte para consulta de dados sobre composição e a melhor forma de manuseio garantindo segurança ao trabalhador.

Seguir as medidas de segurança, estar devidamente capacitado e equipado para manusear essas substâncias e observar também se o ambiente de trabalho segue as normas são medidas que podem ser diferenciais entre uma rotina tranquila de trabalho e ocasionar acidentes graves.

Certos equipamentos são indispensáveis em uma obra segura e dentro dos padrões, você sabe quais são? Baixe agora mesmo e confira quais são os 13 equipamentos que não podem faltar para sua obra.

Posts relacionados