Blog

Qual a importância do uso de equipamento para proteção individual?

Você já sofreu ou conhece alguém que se acidentou no trabalho?

Se a resposta for sim, reflita mais um pouco e responda: você sabia que a grande maioria dos acidentes que acontecem no local de trabalho poderiam ser evitados caso o indivíduo estivesse utilizando algum equipamento de proteção adequado?

Do pedreiro ao operador de máquina na construção civil, passando pelo enfermeiro, gari ao montador de carros na indústria automotiva: inúmeras são as profissões que põe em risco a integridade física do indivíduo.

Para reduzir acidentes e proteger os trabalhadores nestas situações de risco, surgiram as EPIs, elemento fundamental no conceito de como tornar o espaço de trabalho mais seguro.

Para saber mais sobre a importância das EPIs, no artigo de hoje, vamos explicar tudo sobre estes equipamentos, o processo de adesão, quais são os principais tipos e as formas corretas de utilização.

O que são as EPIs?

Os Equipamentos de Proteção Individual (EPIs) são dispositivos e acessórios de uso individual que visam garantir a segurança e proteção do trabalhador contra possíveis acidentes no ambiente de trabalho.

Por que é importante utilizar as EPIs?

As EPIs são recomendadas, principalmente, para profissionais que atuam em locais de trabalho insalubres, cujas atividades trazem risco a saúde do indivíduo.

Vamos citar como exemplo o canteiro de obras.

No canteiro, o trabalhador lida constantemente com máquinas pesadas e manipulação de substâncias tóxicas, além de executar atividades em regiões íngremes e constantemente estar suspenso a grandes alturas.

Se o operário utilizar todas as EPIs corretas ao exercer as atividades relativas ao canteiro de obras como as que citamos acima as chances dele sofrer algum tipo de acidente de trabalho diminuem bastante.

Como fazer para adquirir as EPIs?

Os Equipamentos de Proteção Individual são fornecidos obrigatoriamente pela empresa ao funcionário de forma gratuita e em bom estado de conservação. Essa medida está incluída na Consolidação das Leis do Trabalho (CLT), portanto, o acesso às EPIs é direito do trabalhador.

As EPIs só poderão ser comercializadas com a indicação do Certificado de Aprovação (CA), que deve ser expedido pelo órgão regional responsável pela segurança e saúde do Ministério do Trabalho, indicando que o equipamento foi aprovado após diversos testes de resistência e durabilidade e estão nas condições ideais para uso.

Caso a empresa apresente alguma irregularidade quanto às EPIs, ela pode ser multada durante fiscalização do Ministério do Trabalho.

Os riscos da não-utilização das EPIs

Apesar do alerta, muitos trabalhadores ainda ignoram a utilização das EPIs durante o dia a dia de trabalho. Confiar apenas na experiência de anos na profissão não significa dizer que o indivíduo está imune à acidentes ou a incapacidade laborativa (redução ou perda da capacidade no desempenho das suas funções referentes à profissão).

Como falamos no início, o canteiro de obras é um dos locais de trabalho com maior índice de acidentes, onde os prejuízos tanto físicos quanto financeiros podem ser gravíssimos. Portanto, o uso das EPIs não podem de forma alguma ser negligenciados.

Manter uma rotina de fiscalização no local reforçando a importância da execução das atividades com segurança é dever do gestor responsável pela obra. Nesses momentos, o gestor pode e deve exigir de seus funcionários o uso das EPIs .

A empresa deve oferecer também treinamento de capacitação e as orientações necessárias. O treinamento deve incluir ainda as formas adequadas de conservação, higienização e armazenamento.

Veja agora quais os principais Equipamentos de Proteção Individual (EPIs):

Proteção para mãos e braços: Luvas e mangotes

O material das luvas e mangotes (para proteção do braço e antebraço) devem ser escolhidos de acordo com a atividade realizada e o tipo de material manipulado. São eles:

  • substâncias corrosivas;
  • agentes cortantes e perfurante;
  • choque elétrico;
  • agentes térmicos, biológicos e/ou químicos;
  • radiação ionizante;
  • vibrações;
  • umidade proveniente de operações na água;

Proteção respiratória: Máscara

Essa EPI deve ser utilizada somente em situações específicas, como limpezas do local de trabalho e manejo de substâncias químicas, evitando a inalação de componentes tóxicos. Não é recomendável usá-la em atividades rotineiras.

Proteção facial e ocular: Óculos ou viseiras de segurança

Evitam que qualquer substância nociva entre em contato com o rosto do indivíduo. Essas EPIs devem ser utilizadas tanto pelos trabalhadores quanto pelo visitantes do canteiro de obras.

Roupas especiais: macacões e aventais

O modelo ideal possui mangas compridas e com comprimento até o joelho, e deve ser utilizado completamente fechado. É o EPI indicado para o manuseio de substâncias químicas e/ou corrosivas.

Além destas, existem ainda as EPIs de proteção contra quedas (cintos e cinturões de segurança), proteção para pernas e pés (botas, botinas e sapatos especiais), e de proteção auditiva (protetores auriculares e abafadores de ruídos).

Como vimos, os Equipamentos de Proteção Individual são elementos importantes para a formação de um ambiente seguro e favorável ao profissional independente da sua área de atuação.

E para ajudar ainda mais nesse processo, existem um conjunto de leis que abrangem, além das EPIs, outros pontos relativos a segurança do trabalho, as chamadas Normas NR18. Quer saber mais? Então leia agora mesmo o nosso artigo especial sobre o assunto e descubra como ela é aplicada!

Posts relacionados