Blog

Plano de manutenção preventiva: qual a melhor forma de elaborar um?

Sem um cronograma definido, as chances daquele seu projeto dar errado aumentam consideravelmente, correto? Ter objetivos pré-definidos antes de botar a mão na massa irão ajudar a definir quais estratégias adotar durante sua execução.

Na construção civil, é importante elaborar um plano de manutenção preventiva alinhado ao planejamento inicial a fim de evitar possíveis transtornos na obra.

No post de hoje, nós iremos explicar o que é um plano de manutenção preventiva e como ele pode otimizar a estrutura de trabalho, além de oferecer dicas de como elaborá-lo de maneira correta.

O que é um plano de manutenção preventiva?

É um documento com informações detalhadas sobre todos as atividades de reparo em máquinas e equipamentos, como inspeções, substituição de itens desgastados, limpeza e a definição de quem são os responsáveis por estes serviços (nome, cargo e função).

O plano ainda contém informações sobre a periodicidade desses reparos, localização do equipamento, peças e materiais necessários (ferramentas, peças e combustíveis) para a realização desses ajustes.

Além disso, o plano de manutenção deve dar instruções para os demais colaboradores envolvidos. Informações que sirvam de base para a tomada de decisões durante o desenvolvimento do projeto em questão.

Estar a par desses detalhes específicos é de responsabilidade do gestor técnico e sua equipe.

Com o plano de manutenção preventivo bem desenvolvido, o profissional poderá medir a vida útil dos equipamentos e elaborar estratégias de como alongá-la, sem prejudicar a performance original do maquinário.

O principal objetivo ao elaborar um plano de manutenção preventiva é garantir a disponibilidade e confiabilidade dos equipamentos. Com os resultados adquiridos após a análise, será possível estabelecer novas perspectivas para a melhoria das estratégias.

Benefícios de um plano de manutenção preventiva

De forma geral, os benefícios se concentram na redução de desperdícios, que podem ser com a mão de obra, materiais e otimização de tempo de serviço e produção.

Mas é importante destacar que o plano de manutenção preventiva está ligado diretamente aos custo de manutenção de obra, e nós já falamos aqui sobre como você pode economizar ao elaborar a gestão de custos em seu projeto.

Até aqui, podemos concluir que com um plano bem definido, o ambiente de trabalho se tornará mais harmônico, bem como a produtividade da equipe e a atuação do gestor estarão cada vez mais alinhadas.

Vejamos agora, na prática, como elaborar um plano de manutenção ideal para sua obra!

Saiba como montar um plano de manutenção preventiva eficiente!

Faça uma sondagem

Catalogue todas as Informações detalhadas sobre o maquinário, como período de manutenção, troca de peças, quantidade de atividades já realizadas e período de vida útil do equipamento. Com esse dados em mãos, você irá criar uma checklist de verificação periódica, que pode ser dividida em etapas de lubrificação, mecânica, elétrica e segurança.

Alguns itens para serem verificados nesta sondagem

  • Lubrificação: análise dos níveis de lubrificação e modo de armazenamento
  • Mecânico: verificar o estado dos cabos, correias e mangueiras
  • Elétrica: vistoria de toda a parte elétrica, como fontes e cabos de energia
  • Segurança: certificar se todas as normas de seguranças estão sendo devidamente seguidas, anulando quaisquer riscos à funcionários ou algo que comprometa o desempenho dos equipamentos.

Verificação de gastos

Se você é gestor, crie a rotina de revisar o orçamento do plano inicial com frequência. É importante manter o controle dos gastos para que não haja dores de cabeça com orçamento estourado.

Além disso, ele precisa contemplar todos os gastos adicionais que não constavam no planejamento inicial observando onde foram solicitados e se houve desperdícios. Portanto, veja se a equipe está alinhada e comprometida com os objetivos do projeto.

Esteja atento também aos custos relacionados aos colaboradores, como salários, treinamentos e direitos trabalhistas. Esses valores também devem estar presentes na planilha de gastos.

Aplique KPI’s de produtividade

Ter indicadores de performance definidos são uma excelente estratégia dentro de um plano de manutenção, pois são eles que vão monitorar os erros e acertos cometidos durante a execução do projeto. Isso além de ajudar a estimar o valor e a quantidade de reparos neste período e tornar o orçamento mais enxuto.

Alguns exemplos de KPI’s que o gestor pode adotar são tempo médio de atendimento, intervalo entre reparos de equipamentos, cumprimento do cronograma e rentabilidade por máquina.

Cumprimento do cronograma

Observe quantas vezes o cronograma foi alterado: houve mudanças significativas? Houve prejuízos? Quais dessas alterações não obteve resultados? O projeto inicial sofreu alguma consequência?  A partir dessas respostas, você poderá organizar ou redefinir seu plano para algo mais sólido.

Para ajudar a acompanhar o andamento do cronograma, existem diversas ferramentas e softwares de gestão de equipes específicas para avaliar a qualidade e produtividade durante o projeto, otimizando o relacionamento entre funcionários e empresa.

Aqui na Mason, nós sabemos como aplicar o plano de manutenção preventiva de acordo com seu objetivo. Clique aqui e veja como é simples elaborar uma cotação eficiente para o seu projeto!

Posts relacionados